Você está aqui:

Notícias

Saúde debate os desafios da assistência farmacêutica

Secretaria de Estado de Saúde debate os desafios da assistência farmacêutica

Durante o Congresso Mineiro de Gestão da Saúde Pública, subsecretário falou sobre a regionalização da assistência no contexto do Governo de Minas Gerais

 

O subsecretário de Políticas e Ações de Saúde da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Homero de Souza Filho, participou nesta quinta-feira (23/11), do "Congresso Mineiro de Gestão da Saúde Pública, evento que faz parte da Feira Expo-Hospital Brasil". O evento segue em andamento no Minascentro, em Belo Horizonte, até esta sexta-feira (24/11).

Na oportunidade, Homero ministrou uma palestra sobre a assistência farmacêutica no estado, a partir do tema "Regionalização da assistência farmacêutica e acesso a medicamentos: desafios e perspectivas para a agenda do SUS".  

Além de apresentar um pequeno histórico da assistência, contando da sua evolução ao longo do tempo, o subsecretário pontuou as dificuldades, os avanços e as perspectivas da atualidade para esse segmento.

Para se ter uma ideia, em Minas Gerais, até 2015, o estado era responsável pela aquisição e distribuição de medicamentos básicos, de acordo com as demandas dos municípios. Os processos de compras eram centralizados e lentos; exigiam a manutenção de grandes almoxarifados e de um sistema de logística de distribuição, tornando as compras onerosas e não resolvendo o problema do desabastecimento nos municípios.

“A Regionalização da Assistência Farmacêutica foi uma das melhorias estabelecidas com o Programa Farmácia de Todos e consiste no novo modelo de aquisição e distribuição de medicamentos em Minas Gerais. No novo sistema o estado disponibiliza Atas de Registro de Preço, para que os municípios possam realizar suas compras. O modelo da Regionalização vem, justamente, para melhorar a logística de compra e distribuição de medicamentos”, explicou Homero.

Mais de 99% dos municípios mineiros já aderiram ao programa, representando grande economia para os cofres do estado e dos municípios. O sistema também aumentou o número dos itens disponíveis, uma vez que a regionalização permite a compra de medicamentos por preços menores.

“Temos avançado bastante, mas ainda enfrentamos muitas dificuldades. Há falta de recursos, uma crescente judicialização que impacta fortemente na assistência universalizada, consumo excessivo e uso desregulado de medicação com alta taxa de abandono de tratamento. Porém, a população não pode sentir os efeitos dessas dificuldades, é preciso atender às suas necessidades. O esforço é exatamente nesse sentido, melhorar a assistência por meio de uma gestão mais eficiente”, disse o subsecretário.

Notícias relacionadas

Hospital Universitário da Unimontes celebra a Semana Internacional do Idoso
03/10/2017

Entre as atrações da Semana Internacional do Idoso no Centro “Mais Vida" do Hospital Universitário Clemente de Faria se destacam as apresentações musicais de artistas regionais, grupos de seresta e da Banda do 10º Batalhão da Polícia Militar de Minas Gerais, além de voluntários.

 Hemominas oferece atendimento multidisciplinar ao paciente com doenças do sangue em Minas Gerais
03/10/2017

A partir de princípios como respeito e valorização do ser humano, em compromisso com a melhoria contínua para produzir saúde com excelência, a instituição atende cerca de 8.000 pacientes em tratamento nos ambulatórios existentes em suas várias unidades no estado.

 Governo do Estado reforça o cuidado permanente e inclusivo a todas mulheres
04/10/2017

O trabalho de conscientização é focado no autocuidado com visitas periódicas ao médico, prática regular de atividades físicas, boa alimentação e prevenção de doenças, como o câncer de mama e do colo do útero. Para ter acesso ao exame, a mulher procurar uma unidade básica de saúde mais próxima.