Você está aqui:

Notícias

SES-MG participa do II Fórum de Hepatites Virais

Secretaria de Estado de Saúde participa do II Fórum de Hepatites Virais

Evento apresentou aos profissionais de saúde o novo protocolo clínico para o tratamento da doença pelo SUS

 

Com o novo Protocolo Clínico de Diretrizes Terapêuticas para Hepatites Virais e abordando assuntos como o fluxo de dispensação de medicamentos de alto custo, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), em parceria com o Ambulatório de Hepatites Virais do Instituto Alfa de Gastroenterologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), realizou nesta segunda-feira (11/9), o II Fórum de Hepatites Virais. O evento ocorreu no salão nobre da Faculdade de Medicina da UFMG.

Com a presença da Diretora de Vigilância Epidemiológica da SES-MG, Janaína Almeida, e da representante da Superintendência de Assistência Farmacêutica da SES-MG, Flávia Rabelo, farmacêuticos e profissionais de saúde de diversos municípios mineiros foram atualizados sobre os assuntos referentes à doença.

Fazendo parte da mesa de abertura, a representante da Superintendência de Assistência Farmacêutica da SES-MG, Flávia Rabelo, abordou o fluxo de dispensação de medicamentos do Estado de Minas Gerais. Flávia explicou todo o processo até a entrega dos medicamentos.

“A porta de entrada para que o usuário possa conseguir o medicamento é o Núcleo de Atenção Farmacêutica. A partir deste ponto, ocorre a conferência da documentação, a avaliação e análise técnica documental da solicitação ou da renovação da continuidade do tratamento. Por último ocorre a fase de dispensação que é a retirada do medicamento pelo usuário”, explicou.

A Diretora de Vigilância Epidemiológica da SES-MG, Janaína Almeida, destacou que o II Fórum de Hepatites Virais foi de extrema importância para capacitar os profissionais participantes em relação ao novo protocolo clínico de diretrizes terapêuticas, publicado na última segunda-feira (04/09), no Diário Oficial da União.

“O novo protocolo contempla a alteração de algumas medicações, o aumento dos pacientes elegíveis ao tratamento e a discussão da modificação e do diagnóstico oportuno dos pacientes, principalmente agora com a introdução do teste rápido de hepatite B e C na Atenção Básica”, disse.

Participando do evento, a Farmacêutica da Farmácia de dispensação de medicamentos antirretrovirais de Ibirité, Lázara Montezano Lopes, aprovou a realização do evento. “Saber o real fluxo para a dispensação do medicamento é muito importante, principalmente para orientarmos os usuários que nos procuram e que precisam do tratamento”, disse.

 

A doença

A Hepatite C é uma inflamação do fígado, causada pelo vírus VHC e transmitida por sangue contaminado. Assim como outros tipos, a hepatite C não desperta sintomas e por isso, muitas vezes as pessoas não sabem que tem a doença.

No Brasil, estima-se que cerca de 2 milhões de pessoas tenham hepatite C e que a grande maioria dessas pessoas não desconfia que têm o problema. O tratamento é medicamentoso, feito com uma combinação de medicamentos.

Notícias relacionadas

 Hemominas oferece atendimento multidisciplinar ao paciente com doenças do sangue em Minas Gerais
03/10/2017

A partir de princípios como respeito e valorização do ser humano, em compromisso com a melhoria contínua para produzir saúde com excelência, a instituição atende cerca de 8.000 pacientes em tratamento nos ambulatórios existentes em suas várias unidades no estado.

 Governo do Estado reforça o cuidado permanente e inclusivo a todas mulheres
04/10/2017

O trabalho de conscientização é focado no autocuidado com visitas periódicas ao médico, prática regular de atividades físicas, boa alimentação e prevenção de doenças, como o câncer de mama e do colo do útero. Para ter acesso ao exame, a mulher procurar uma unidade básica de saúde mais próxima.

Minas Gerais recebe 126 médicos intercambistas do Programa Mais Médicos
05/10/2017

Minas Gerais conta hoje com cerca de 1.320 médicos cooperados do Programa Mais Médicos, atuando em aproximadamente 500 municípios. Ao todo, são 5.062 equipes de Saúde da Família implantadas no estado, o que representa uma cobertura de 74% do território mineiro.