Você está aqui:

Notícias

Cidadão pode consultar medicamentos no MG App

05/07/2018

A Secretaria de Planejamento e Gestão de Minas Gerais (Seplag), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde (SES), ampliou o serviço de acesso à informação dos medicamentos ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) por meio do aplicativo MG App.

O projeto surgiu a partir da identificação das principais demandas feitas pelos usuários pelo serviço telefônico 155 Lig Minas Farmácia de Todos, de janeiro a abril de 2018.

Uma das demandas mais recorrentes era em relação à situação dos processos administrativos, no que compete ao Componente Especializado da Assistência Farmacêutica, bem como a disponibilidade dos seus respectivos medicamentos nas farmácias regionais.

Segundo a superintendente de Assistência Farmacêutica da Secretaria de Estado de Saúde, Daniela Aguiar Alberto, o volume de ligações recebidas pelo 155 é muito alto. “Isto pode acarretar em um tempo médio de espera aumentado em várias ocasiões e a nova ferramenta no aplicativo é uma alternativa para os cidadãos com mais comodidade e celeridade”, explica.

Para ter acesso ao serviço, o cidadão deve fazer o download do aplicativo MG App em seu smartphone e informar o número do seu CPF ou Cartão Nacional de Saúde (CNS), e sua data de nascimento. Após o aplicativo confirmar a veracidade das informações inseridas, o usuário terá acesso a todos os processos de abertura de solicitação já realizados por ele. O usuário deverá, então, selecionar o processo desejado e o aplicativo irá informar o “status”, ou seja, em qual etapa se encontra, se já foi analisado ou não.

Caso o processo já tenha um parecer, o cidadão poderá consultar o resultado da análise para cada medicamento solicitado. Em caso de deferimento, ele poderá consultar a disponibilidade do seu medicamento no estoque da farmácia de sua Regional de Saúde, onde o processo foi aberto.

Desde abril deste ano é possível consultar informações sobre os medicamentos ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) através do MG App. Por meio do aplicativo desenvolvido pelo Governo de Minas Gerais, o cidadão pode buscar pelo nome do medicamento ou insumo e saber se é disponibilizado pela Assistência Farmacêutica do Estado de Minas Gerais.

Além disso, também é possível verificar a localização da farmácia regional mais próxima para retirada de medicamentos do componente especializado. A nova ferramenta do MG App está disponível para celulares Android Android e, na próxima semana, também será possível consultar informações sobre medicamentos em iOS.

 

Serviços

O aplicativo já disponibiliza serviços online da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran), além de permitir o acesso a endereços, telefones e horário de atendimento das principais unidades de prestação de serviços, como delegacias e escolas.

O MG App é um aplicativo inédito e gratuito, lançado pelo Governo de Minas Gerais, com o objetivo de facilitar o acesso a informações e serviços estaduais e facilitar a resolução de problemas e a busca por informações, de forma simples, rápida e moderna em celulares e outros dispositivos móveis.

Notícias relacionadas

20/06/2012

Pela proposta apresentada pelo Governo de Minas, a gratificação complementar (GC) concedida a auxiliares de apoio, técnico operacional, enfermeiros e analistas de gestão e assistência à saúde da Fhemig aumentará de 20,7% para 30% a partir de agosto deste ano.

01/10/2015

Somente este ano houve um aumento de 15% no número de drogarias conveniadas. São mais de 3.700 farmácias em 660 municípios em Minas Gerais. De acordo com Emílio Ferraz, administrador da Rede Aceito, prestadora do serviço, o crescimento da rede traz comodidade para o servidor público.

Governador Fernando Pimentel entrega 214 carros para a saúde e 25 ambulâncias a 179 municípios mineiros
02/06/2017

Durante o evento, Fernando Pimentel destacou que os veículos são extremamente importantes para a melhoria do atendimento à população, principalmente em municípios menores e que não dispõem de hospitais ou centros de saúde mais complexos.