Você está aqui:

Notícias

Economia mineira fecha 2017 em expansão

Economia mineira cresce 0,9% no último trimestre e fecha 2017 em expansão

Produto Interno Bruto de Minas Gerais registra elevação de 0,6% no ano passado, encerrando período de retração. Setor de serviços foi o principal destaque

 

Depois de três anos consecutivos de contração no nível de atividade econômica (2014, 2015 e 2016) a economia mineira voltou a crescer em 2017. No acumulado do ano o crescimento foi de 0,6%. Em termos reais, no quarto trimestre de 2017 houve aumento de 0,9% em relação ao trimestre imediatamente anterior, considerando a série dessazonalizada.

De acordo com o IBGE, o PIB brasileiro também cresceu em 2017 (1,0%), depois de dois anos seguidos de resultados negativos. No quarto trimestre de 2017 a economia brasileira apresentou variação positiva de 0,1%, em relação ao terceiro trimestre do ano.

Os dados são parte do produto Indicadores FJP – PIB trimestral de Minas Gerais, 4º Trimestre, divulgado pela Fundação João Pinheiro.

 

Acumulado no ano de 2017

Os resultados apresentados no Gráfico 1 mostram que a recuperação econômica de Minas Gerais vem sendo delineada desde 2016, após forte retração durante todo o ano de 2015.

De fato, em 2016 a atividade econômica ainda apresentou retração, mas com melhorias gradativas a cada trimestre no valor da taxa anualizada, até culminar em resultado positivo no quarto trimestre de 2017, o que não ocorria desde o segundo trimestre de 2014.

 

Economia mineira cresce 0,9% no último trimestre e fecha 2017 em expansão

 

 

Essa tendência de recuperação econômica fica ainda mais evidente quando cotejados os dados apresentados no Gráfico 2, que mostram as taxas de crescimento do PIB mineiro acumuladas nos últimos quatro trimestres, em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores.

Economia mineira cresce 0,9% no último trimestre e fecha 2017 em expansão

 

Os dados consolidados na Tabela 1 revelam que o setor de serviços (1,3%) foi o principal responsável para o resultado positivo do PIB mineiro em 2017, tendo em vista o crescimento do subsetor de comércio (2,5%) – influenciado pelo volume de vendas positivas de tecidos, vestuário e calçados e de hipermercados e supermercados – e de outros serviços e de transportes (0,9%).

Nesta base de comparação, as atividades agropecuárias apresentaram resultados desfavoráveis (queda de 1,7%). Os dados disponíveis da Pesquisa Trimestral do Leite indicam queda na produção do produto no acumulado do ano. As informações de safra apontam uma queda de 18,3% na produção de café arábica em 2017 em relação ao ano de 2016.

Economia mineira cresce 0,9% no último trimestre e fecha 2017 em expansão

 

Portanto, dois dos principais produtos da pauta agropecuária mineira (leite e café) foram determinantes para o resultado negativo observado ao longo do ano. No caso brasileiro, o efeito positivo da safra de grãos (sobretudo soja e milho no primeiro semestre) foi determinante para o crescimento de 13,0% no volume de valor adicionado pelas atividades agropecuárias.

Ainda nesta ótica de comparação, houve retração de 1,4% no desempenho do setor industrial, resultado fortemente influenciado pelo desempenho negativo dos subsetores da construção civil (-6,4%) e energia e saneamento (-7,2%).

Em contrapartida, houve expansão no subsetor de extração mineral (3,4%) e na indústria de transformação estadual (variação de 1,3%).

Os dados da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF) revelaram crescimento na quantidade produzida, no acumulado até o quarto trimestre de 2017 comparativamente ao mesmo período de 2016, dos seguintes segmentos: fabricação de produtos têxteis (13,7%); fabricação de máquinas e equipamentos (10,4%); de veículos automotores (4,2%); de bebidas (4,0%), de fumo (2,5%) e de produtos alimentícios (1,7%).

 

4° Trimestre de 2017

O último trimestre do ano passado apresentou alguns sinais de recuperação da economia mineira e contribuiu de forma significativa para o fechamento do ano com sinal positivo do PIB estadual, após três anos de contração no nível de atividade econômica: 2014 (-0,7%), 2015 (-4,3%) e 2016 (-1,8%).

No quarto trimestre de 2017 houve crescimento de 0,9%, em termos reais, em relação ao terceiro trimestre do ano, considerando a análise da série dessazonalizada.

Os dados consolidados na Tabela 1 revelam que, no caso da economia mineira, o desempenho da agropecuária (9,0%) foi determinante para o resultado do produto agregado trimestral, apesar do menor peso na estrutura produtiva.

Com o encerramento, quase em sua totalidade, da colheita de café arábica no terceiro trimestre do ano passado, cuja produção sofreu então forte inflexão negativa, o resultado do quarto trimestre passou a ser afetado pelo desempenho positivo de outras culturas.

De acordo com o Levantamento Sistemático de Produção Agrícola (LSPA) do IBGE, as seguintes culturas contribuíram para o desempenho positivo da agropecuária no quarto trimestre com aumento na produção anual: a uva (16,4%); a banana (9,6%); a terceira safra do feijão (3,9%); a terceira safra da batata-inglesa (1,6%); e a cana-de-açúcar (1,5%).

O setor industrial de Minas Gerais apresentou variação levemente negativa (-0,5%) na série com ajuste sazonal e foi significativamente afetado pela piora na geração hidroelétrica estadual. O segmento de energia e saneamento recuou 9,2% no quarto trimestre em relação aos meses de julho, agosto e setembro.

A construção civil, apesar de ser um dos subsetores industriais com maior dificuldade de recuperação, apresentou estabilidade no caso brasileiro (0,0%) e ligeira expansão em Minas Gerais (0,2%) na análise da série dessazonalizada. A extração mineral expandiu 0,6% no estado, nesta ótica de comparação.

Outra boa notícia ficou por conta da indústria de transformação, que pelo quarto trimestre consecutivo apresentou incremento no volume de valor agregado. Analisando a série com ajuste sazonal, a indústria de transformação mineira expandiu 0,4%, e comparando o resultado do quarto trimestre com o mesmo trimestre do ano de 2016, essa expansão foi de 5,2%.

Os seguintes segmentos apresentaram contribuição positiva nesta última base de comparação: fabricação de máquinas e equipamentos, de produtos têxteis, de veículos automotores, de bebidas, de outros produtos químicos e da metalurgia.

No setor de serviços, segmento que hoje responde por mais de 2/3 da variação do PIB mineiro, manteve-se a tendência de recuperação no agrupamento de outros serviços (1,2%) e houve recomposição positiva nas atividades de comércio (1,0%).

 

Valores Correntes

Com a conclusão dos aperfeiçoamentos metodológicos no cálculo do PIB trimestral de Minas Gerais, colocando-o plenamente integrado ao Sistema de Contas Regionais na referência 2010, tornou-se possível a divulgação dos valores correntes setoriais do valor adicionado (agropecuária, indústria e serviços) e do PIB mineiro a partir do novo ano de referência (2010).

O PIB mineiro no quarto trimestre de 2017 totalizou R$ 148,3 bilhões. O valor adicionado da agropecuária registrou R$ 1,5 bilhões; da indústria R$ 32,3 bilhões e dos serviços R$ 95,2 bilhões. O resultado preliminar para o PIB nominal de Minas Gerais em 2017 totalizou R$ 573,7 bilhões (Tabela 2).

Economia mineira cresce 0,9% no último trimestre e fecha 2017 em expansão

Economia mineira cresce 0,9% no último trimestre e fecha 2017 em expansão
Economia mineira cresce 0,9% no último trimestre e fecha 2017 em expansão
Economia mineira cresce 0,9% no último trimestre e fecha 2017 em expansão
Economia mineira cresce 0,9% no último trimestre e fecha 2017 em expansão

Notícias relacionadas

Média de acessos ao Portal da Transparência bate novo recorde entre janeiro e agosto
28/09/2017

A meta da CGE é ampliar ainda mais o leque de informações disponíveis no portal neste ano. Um dos objetivos é incluir dados sobre convênios de entrada que envolvem o recebimento de recursos, com detalhamento dos órgãos financiadores, valores recebidos e gastos pelo Estado.

Secretaria de Fazenda passa a fazer o recadastramento de servidores inativos
29/09/2017

O recadastramento de servidores inativos e de pensionistas especiais do Governo de Minas Gerais (beneficiários), além da alteração de dados cadastrais, emissão de dados de contracheques e de informe de rendimentos passam a ser feitos pela Secretaria de Estado de Fazenda (SEF).

  Fernando Pimentel participa de encontro com o prefeito de Belo Horizonte e deputados federais por Minas Gerais
02/10/2017

Durante o encontro, na sede da Prefeitura de Belo Horizonte, a administração municipal apresentou desafios, especialmente na área da saúde, e destacou a importância do apoio da bancada federal de Minas Gerais e do governo estadual para solucionar as demandas da capital.