Você está aqui:

Notícias

Governo vai revisar benefícios dos servidores da Funed

08/02/2018

Governo de Minas Gerais se compromete a rever valores de benefícios e servidores da Funed suspendem greve

 

Em reunião realizada nesta quarta-feira, dia 7, na Fundação Ezequiel Dias (Funed), representantes da Seplag e dos trabalhadores discutiram as reivindicações dos servidores da instituição. Ítens importantes da pauta, como revisão do valor do adicional de insalubridade e do vale-transporte, passarão por um estudo para possível concessão.

No fim do ano, o Governo do Estado já havia concedido o vale-alimentação para os servidores da Funed nos mesmos moldes que recebem os servidores da Fundação Hospitalar de Minas Gerais (valor de R$ 18,00/dia). Em abril foi definido que haverá uma nova rodada de negociações com a categoria. Como resultado da reunião, os servidores da Funed suspenderam a greve e voltam às atividades normais a partir de quinta-feira, dia 8.

Notícias relacionadas

Governo de Minas Gerais apresenta contraproposta às reivindicações dos médicos peritos
02/02/2018

Definida a criação de um grupo de trabalho para discutir a carreira de médico perito e a elaboração de uma resolução que inclua vários aspectos da atuação deste profissional, como a forma de cumprimento da carga de 20 horas semanais da categoria e a revisão do adicional de insalubridade.

Realocação de servidores na Cidade Administrativa
05/02/2018

O objetivo, com essa mudança, é reduzir em pelo menos 40% gastos com insumos diversos, manutenção rotineira e com o consumo de água e energia elétrica. O Edifício Tiradentes gera uma despesa anual de cerca de R$ 5 milhões. A realocação já está em andamento e será concluída nos próximos dias.

Governo propõe ajuda de custo de R$ 53 diários para servidores da Hemominas
09/02/2018

A ajuda de custo será paga no mês de abril e beneficiará todos os servidores do Hemominas que fazem um mínimo de 30 horas semanais, além dos plantonistas. Para quem cumpre jornada de trabalho inferior a 30 horas semanais, o Governo informou que irá analisar junto a Advocacia Geral do Estado.