Você está aqui:

Notícias

Campanha busca combater a violência contra LGBTs

08/02/2018

Campanha virtual do Estado busca combater a violência contra LGBTs durante o Carnaval

A ideia é que peças gráficas sejam compartilhadas pelo maior número de pessoas e incentivem o registro de ocorrências geradas por preconceito

 

Para ajudar a combater o preconceito contra a população LGBT e incentivar as denúncias em caso de intolerância ou qualquer outro tipo de violência contra este público, principalmente durante o Carnaval, a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) e a Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (Sedpac) promovem uma mobilização na internet com a veiculação de peças que abordam a temática do preconceito e a importância dos registros das ocorrências.

Foram confeccionadas 13 peças que abordam a lesbofobia, homofobia, bifobia e a transfobia. A intenção é fazer com que as informações atinjam o maior número de pessoas por meio das diversas redes sociais a fim de que o público se conscientize sobre a importância do registro policial.

Blocos de Carnaval que trabalham o preconceito, como o Então Brilha!, Alô Abacaxi, Garotas Solteiras, Corte Devassa, Angola Janga e Para Elas também são parceiros na distribuição das peças por meio de redes sociais.

Minas Gerais é um dos poucos estados no qual a vítima pode exigir que o policial preencha no Registro de Eventos de Defesa Social (Reds), nome do antigo boletim de ocorrência, a causa presumida da violência baseada em LGTfobia. Esta ação resguarda a vítima e ajuda o Governo a ter um panorama mais real da violência contra a população LGBT no Estado.

No estado, também de forma inovadora, é possível o preenchimento do boletim utilizando o nome social. Pode-se ainda ser declarada a identidade de gênero ou orientação sexual. A campanha orienta ainda para que as vítimas façam o registro em uma das Bases Móveis da Polícia Militar ou companhia mais próxima, bem como uma delegacia da Polícia Civil.

Também a Polícia Civil possui uma Coordenadoria de Direitos Humanos (NAC), que atende, de forma especializada, esse tipo de ocorrência. Ao longo de 2017, a Coordenadoria Estadual de Enfrentamento às Fobias Relacionadas à Orientação Sexual e Identidade de Gênero de Minas Gerais (Cepef) da Sesp, em parceria com o NAC e com representantes de movimentos sociais, realizou abordagens à população LGBT nas ruas da capital mineira com o objetivo de esclarecer os serviços especializados de segurança oferecidos pelo núcleo.
 

Notícias relacionadas

Estado enfatiza políticas públicas no Dia Nacional do Combate à Intolerância Religiosa

Para fortalecer a causa, da Sedpac firma parcerias com outros órgãos do Governo de Minas Gerais, como o termo de cooperação para elaboração do I Relatório sobre Intolerância e Violência Religiosa no Estado de Minas Gerais, assinado nesta sexta-feira (19/1) com a Polícia Civil de Minas Gerais.

Estado avança nos debates em torno da equidade em saúde pública

Para universalizar as políticas de saúde no Brasil, “sem preconceitos ou privilégios de qualquer espécie”, conforme preceitua a Lei Orgânica da Saúde, é indispensável considerar o dinamismo das sociedades, que exige um constante processo de aperfeiçoamento por parte do Sistema Único de Saúde (SUS).

Foto: Marcus Ferreira/divulgação

Visando igualdade de gênero e direitos, segurança, autonomia econômica, avanços na promoção à saúde da mulher e outras melhorias, o Governo de Minas Gerais busca o fortalecimento das ações e serviços para o público feminino em todo o Estado.