Você está aqui:

Notícias

Operação integrada busca prevenção a crimes em divisas

Operação integrada busca prevenção e repressão a crimes nas áreas de divisas

Ação foi realizada pela PM, PC e PRF em rodovias próximas a 12 cidades mineiras com o apoio de profissionais de segurança de SP, MT, GO, ES e BA

 

Uma megaoperação integrada com mais de 20 horas de duração, cerca de 400 policiais militares, policiais civis e policiais rodoviários federais envolvidos, além de policiais de estados vizinhos, atuando fora e dentro das divisas de Minas Gerais terminou por volta das 4h desta sexta-feira (20/10).

A Operação Presença nas Divisas foi coordenada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública de Minas Gerais (Sesp) e contou com o apoio de profissionais de segurança de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Goiás, Espirito Santo e Bahia.

Foram 2.762 condutores e passageiros abordados, com veículos vistoriados, em rodovias estrategicamente escolhidas pelas áreas de inteligência. O “cinturão duplo”, como classificou o secretário de Segurança Sérgio Barboza Menezes, teve como objetivo, o combate ao tráfico de entorpecentes, a entrada de armas de fogo e de materiais explosivos no Estado.

A presença policial ostensiva e de forma integrada também é um dos principais resultados do trabalho, considerando que previne crimes e promove sensação de segurança para os cidadãos em trânsito no Estado. Cada cidade de divisa (veja mapa abaixo) atuou em horário diferenciado, também demarcado pelas áreas de inteligência.

Treze pessoas foram presas durante a operação em todo o Estado. Duas caminhonetes roubadas também foram recuperadas na ocorrência de maior destaque da ação.

Em Uberlândia, no Triângulo, a operação evitou a explosão de caixas eletrônicos em Minas. Dois veículos foram abandonados na noite de quinta-feira com diversos artefatos utilizados na prática de explosão de caixas eletrônicos – possivelmente, após a informação da fiscalização nas estradas.

Nos veículos foram encontrados três explosivos, um carregador de pistola 9 milímetros, seis cilindros de oxigênio e acetileno, dois coletes balísticos, sete latas de “miguelito” (utilizado para furar pneus em fugas), quatro alavancas e pés de cabra, 29 tubos para cilindros de gás, um metalon explosivo (bomba caseira revestida de ferro), além de diversas toucas ninja, placas de veículos adulteradas, uniformes militares falsificados e máscaras de gás.Atuação

Foram montadas barreiras com atuação integrada da Polícia Militar, Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal em rodovias que cortam as cidades de Juiz de Fora, Uberaba, Uberlândia, Frutal, Monte Alegre de Minas, Paracatu, Itaobim, Unaí, Simão Pereira, Itapeva, Manhuaçu e Leopoldina.

Em alguns pontos, houve também o apoio do canil de unidades prisionais, para auxiliar na busca por drogas dentro dos veículos, em uma parceria com a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap).

O comandante geral da Polícia Militar de Minas, Cel. Helbert Figueiró de Lourdes, destacou a importância da ação. “A Polícia Militar empenhou seus recursos de forma efetiva e inteligente nas principais divisas, intensificando, de forma inovadora, as ações de comando para o combate à interiorização do crime. Certamente isso resultará em uma redução criminal perceptível ao cidadão que vive nestas regiões do Estado”.

Toda a operação foi acompanhada em tempo real pelo Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), que fica na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, e reúne mais de 40 instituições de segurança para apoio em eventos e operações de grande porte e para a tomada de decisões rápidas e inteligentes de segurança.

O superintendente regional substituto da Polícia Rodoviária Federal em Minas Gerais, Aristides Amaral Júnior destaca a importância da integração das instituições em ações como a Presença. “A operação conjunta nas divisas do Estado fortalece as ações de enfrentamento à criminalidade e proporciona o bloqueio de rotas que utilizam as principais vias do Estado”, pontuou.  Ele como exemplos de rodovias rotas as BRs 381 (MG/SP), 050 (MG/SP), 153 (MG/SP e MG/GO); 040 (MG/GO e MG/RJ), BR 116 (MG/BA e MG/RJ) e 262 (MG/ES).

A Subsecretaria de Atendimento Socioeducativo (Suase) da Sesp, responsável pelo acautelamento de adolescentes em conflito com a lei no Estado, também disponibilizou um canal direto para que agentes socioeducativos pudessem buscar os adolescentes apreendidos nos pontos de bloqueio para encaminhamentos devidos – evitando, assim, o deslocamento de policiais envolvidos na operação.

 

Pacto Integrador Interestadual

A operação realizada nesta quinta-feira é resultado de um acordo de fechamento de divisas que Minas possui com outros 21 Estados. Chamado de Pacto Integrador Interestadual, o acordo é o maior colegiado de segurança pública já existente voltado para planejamentos e ações conjuntas. A Segurança de Minas, inclusive, ocupa a vice-presidência do grupo.

“Esse compartilhamento de informações com outros Estados e a realização de operações conjuntas é um trabalho exitoso que tem dado bastante resultado e mostra que a força integrada é mais eficiente e traz resultados melhores para todos nós. As operações continuam, os cidadãos podem aguardar”, ressalta o secretário de Segurança Pública de Minas, Sérgio Menezes.

Operação integrada busca prevenção e repressão a crimes nas áreas de divisas

Notícias relacionadas

18/05/2017

Dos US$ 976 milhões, Minas já recebeu US$ 195,5 milhões. Outros US$ 150 milhões estão em processo de solicitação e devem ser internalizados em janeiro próximo. A parcela para liberação no ano que vem é de R$ 390 milhões, enquanto que, em 2010, deverão ser liberados US$ 222 milhões.

Minas Gerais lança a campanha “Vamos juntos dar um basta ao trabalho infantil”
12/06/2017

O Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado do Trabalho  e Desenvolvimento Social, lançou nesta segunda-feira (12/6), a campanha “Vamos juntos dar um basta no trabalho infantil”. A estratégia, apresentada na data em que se celebra o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil.

Projeto leva conhecimento agroecológico a jovens de centro socioeducativo do Estado
13/06/2017

O mundo dos menores abrigados em instituições socioeducativas -- após a prática de atos infracionais -- pode ser menos sofrido, mais produtivo e capaz de ajudar na ressocialização. A privação de liberdade como medida socioeducativa está prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).