Você está aqui:

Notícias

Museu Mineiro reabre sala e recebe novas exposições

Museu Mineiro reabre Sala das Sessões e recebe novas exposições permanente e temporária

Evento acontece no próximo dia 19 de dezembro (terça-feira) em comemoração aos 120 anos de Belo Horizonte

 

Para celebrar os 120 anos de Belo Horizonte, o Museu Mineiro reabre, no dia 19 de dezembro (terça-feira), às 17h, a Sala das Sessões. O espaço foi completamente restaurado e se reapresenta ao público com uma nova proposta expográfica de longa duração para sua coleção.

A exposição evidencia obras de grandes artistas mineiros exibidas em quatro espaços intitulados: Sala Jeanne Milde, no primeiro pavimento, Sala Honório Esteves, Gabinete e Sala das Sessões, no segundo pavimento.

Fechada há aproximadamente seis anos, a Sala das Sessões teve suas pinturas e parietais e seu forro restaurados, o piso de madeira recuperado e instalada nova iluminação expositiva adequada para destacar o acervo pictórico exibido no local.

Da coleção em exposição, destacam-se pinturas clássicas como as seis telas de autoria de Manoel da Costa Ataíde (1762-1830), o quadro A Má Noticia do artista Belmiro de Almeida, pintado em 1897, telas de Aníbal Mattos e de outros expoentes da pintura mineira acadêmica do início do século XX.

No hall de acesso às salas expositivas, o público poderá admirar um conjunto de pinturas parietais, descoberto durante a restauração, sob seis camadas de tinta, provavelmente de autoria de Frederico Steckel, o mesmo artista que atuou no Palácio da Liberdade. São figuras aladas, folhas de acanto e outras ornamentações.

A restauração da Sala das Sessões e do Hall foi viabilizada por patrocínio da Cemig, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, e realizada por técnicos e especialistas da empresa Grupo Oficina de Restauro.

Na entrada do 2º pavimento, está em exposição obras de autoria do pintor natural de Ouro Preto Honório Esteves (1869-1933), com destaque para a obra O Pastor Egípcio e o retrato de Peter Lund. À frente da sala Honório Esteves, foi montada uma pequena galeria de retratos dos monarcas com figuras em óleo sobre tela de Dom João VI, Dona Maria I, Pedro I, Pedro II e o Brasão da família imperial.

No primeiro pavimento, próximo à entrada do Casarão, fica a Sala Jeanne Milde, em homenagem à escultora belga (1900-1997) que chegou a BH em 1929, numa missão pedagógica européia, para trabalhar no ensino de arte e educação. O público poderá apreciar a belíssima escultura  As adolescentes,  as pinturas de artistas renomados no cenário cultural mineiro dentre eles: Guignard, Amilcar de Castro, Márcio Sampaio, Mário Silésio, Érico de Paula, Maria Helena Andrés, Lótus Lobo, Yará Tupinambá, Aurélia Rubião, Inimá de Paula, entre outros.

Para a superintendente de Museus e Artes Visuais (Sumav),  Andrea Matos, a comemoração será intensa. 

"Estamos extasiados, pois o Museu Mineiro voltará a seu esplendor. Foi um trabalho intenso, cuja curadoria, expografia e montagem foi executada pela própria equipe da Sumav e do Museu Mineiro. Várias obras do nosso acervo que estavam há muito tempo guardadas estão de volta para apreciação do público. As salas restauradas ficaram belíssimas e ainda iremos exibir uma das mais importantes peças do nosso acervo pela primeira vez. Essa surpresa, só quem vier ao Museu Mineiro poderá conferir”, afirma.

 

Novidades

Entre as novidades para o aniversário de Belo Horizonte, o Museu Mineiro, Arquivo Público Mineiro e Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha-MG) apresentam a mostra “Belo Horizonte - 120 anos: Primeiros Registros”, com mais de cem obras das três instituições, que ficará em exibição na Galeria de Exposição Temporária do Museu Mineiro e na Sala da Memória, dentro do Casarão.

A mostra apresentará ao público um panorama da trajetória inicial da cidade por meio de quadros, fotografias, documentos, plantas cadastrais e objetos, com destaque para uma tela retratando o engenheiro construtor Aarão Reis (1853-1936) com o projeto original de BH nas mãos, e uma bonequinha de biscuit que pertenceu à menina Alice, uma das que participaram do primeiro sorteio de lotes da nova capital.

 

Sobre o Museu Mineiro

Localizado na Avenida João Pinheiro, corredor de acesso à Praça da Liberdade, o Museu Mineiro funciona em um belo casarão do final do século XIX, exemplar do conjunto arquitetônico original de Belo Horizonte. Antiga sede do Senado Mineiro e da Pagadoria Geral do Estado, o Museu criado em 1982, integra o Circuito Liberdade e é gerido pela Superintendência de Museus e Artes Visuais (Sumav) da Secretaria de Estado de Cultura (SEC).

O Museu Mineiro coloca à disposição do público exposição de longa duração e mostras temporárias, tanto de artistas consagrados quanto de iniciantes, além de ampla programação relacionada ao patrimônio material e imaterial do Estado. Com acervo de mais de 3 mil peças, de variadas tipologias, datadas dos séculos XVIII ao XXI, a instituição tem como objetivo preservar, pesquisar e difundir registros da história e da cultura mineira.

O acervo em exibição apresenta a coleção de arte sacra, composta por peças do barroco mineiro e do período neoclássico. A pinacoteca formada por obras do Mestre Ataíde e de importantes artistas mineiros como Celso Renato, Inimá de Paula, Amílcar de Castro, Márcio Sampaio, Aníbal Mattos, Belmiro Almeida, além de destacados artistas brasileiros, como Volpi e Di Cavalcanti. Também compõem o acervo da instituição utensílios domésticos e de uso pessoal, instrumentos de trabalho, objetos pecuniários e cerimoniais, insígnias, esculturas, com destaque para a coleção Jeanne Milde, dentre outros.

 

Museu Mineiro reabre Sala das Sessões e recebe novas exposições permanentes e temporárias em comemoração aos 120 anos de Belo Horizonte
Data: 19 de dezembro de 2017 (terça-feira)
Horário: 17h
Local: Museu mineiro – Avenida João Pinheiro, 342 - Belo Horizonte/MG
Horário de Visitação: 3ª, 4ª e 6ª – 10h às 19h | 5ª – 12h às 21h | Sábados, domingos e feriados – 12h às 19h
Informações: (31) 3269-1103
 

Notícias relacionadas

Talentos de Minas descobrem novos caminhos com a música no 'Territórios de Invenção'
02/06/2017

Como a música inventa territórios? Lançando sons e palavras no espaço público para uma educação musical e criação artística em territórios de Minas Gerais. Esses são os pilares do projeto “Territórios de Invenção – Residências Musicais”, viabilizado pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC)

<iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/KB-GVV68U5s?rel=0" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>
02/06/2017

Na próxima quarta-feira (7/6), o documentário “Nunca me sonharam”, que estreia nos cinemas de São Paulo e Rio de Janeiro, será disponibilizado gratuitamente na plataforma Videocamp. Apresentando um panorama do ensino médio nas escolas públicas do Brasil, o filme poderá ser assistido, até 7 de junho

O aprendizado dentro de sala de aula é muito importante, mas aliar conhecimento à experiência de aprender com o artista que você admira pode proporcionar um importante crescimento e amadurecimento na trajetória de jovens estudantes de música.
12/06/2017

O aprendizado dentro de sala de aula é muito importante, mas aliar conhecimento à experiência de aprender com o artista que você admira pode proporcionar um importante crescimento e amadurecimento na trajetória de jovens estudantes de música.