Você está aqui:

Notícias

Cemig ilumina murais de arte urbana no centro de BH

Cemig ilumina murais de arte urbana no centro de Belo Horizonte

Seis pinturas do Projeto Cura podem ser vistas, também à noite, do mirante da Rua Sapucaí, no bairro Floresta

 

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) inaugurou, em Belo Horizonte, a iluminação permanente dos seis murais de arte urbana do Circuito Urbano de Arte (Cura). Graças a essa iniciativa em parceria com os organizadores do Cura, o panorama da região central da capital ganha mais destaque graças à visibilidade permanente das obras, diariamente, também das 19h às 22h.

A edição especial do Cura de 120 anos de Belo Horizonte inclui a realização de dois novos murais, executados pelos artistas Milu Correch e DMS, nas laterais da Garagem São José e do Edifício Príncipe de Gales. Essas obras, bem como as quatro obras executadas na primeira edição do Cura, podem ser vistas desde a Rua Sapucaí, no bairro Floresta (região leste de Belo Horizonte)  que, graças a essa iniciativa, tem ficado conhecida como o primeiro mirante de arte urbana do mundo.

Os dois murais são um presente para a cidade no seu aniversário de 120 anos. Milu Correch, jovem muralista argentina, foi convidada para executar a pintura da lateral da Garagem São José, localizado na rua Tupis e que, com 56 metros de altura, já é considerado o mural mais alto pintado por uma mulher na América Latina. Lenda do grafite em Belo Horizonte, DMS é responsável pelo mural do Edifício Príncipe de Gales, na Rua Tupinambás.

Mas o maior presente, segundo Juliana Flores, uma das idealizadoras e produtoras do Cura, “é do nosso patrocinador, a Cemig, que ilumina os seis prédios pintados pelo Cura, que a gente já vê do mirante da Rua Sapucaí durante o dia, e, agora, vai poder ver com muita nitidez durante a noite”.

 

Sobre o Cura

O Circuito Urbano de Arte (Cura) é o primeiro festival de pintura em prédios de Belo Horizonte e o segundo do gênero no Brasil. Idealizado por três mulheres, Juliana Flores, Janaína Macruz e Priscila Amoni, o projeto, que objetiva valorizar a arte urbana, foi inaugurado em julho deste ano e vem colocando Belo Horizonte no circuito internacional, ao convidar artistas brasileiros e estrangeiros para assinarem a criação de painéis e grafites, pintados nas laterais dos prédios (empenas).

A seleção dos prédios foi feita a partir de um recorte visual: todas as obras poderão ser vistas simultaneamente da Rua Sapucaí. A ideia é que nas próximas edições, o Festival consiga cobrir com murais e grafites todas as empenas que são vistas da rua Sapucaí.

 

Cemig

A Cemig é a maior empresa integrada do setor de energia elétrica do País, com mais de 530 mil quilômetros de linhas de distribuição e uma capacidade instalada de 5,6 GW. Vale destacar que a concessionária foi selecionada, pela 18ª vez consecutiva, para compor a carteira do Índice Dow Jones de Sustentabilidade no período 2017/2018, mantendo-se como a única companhia do setor elétrico da América Latina a fazer parte do índice desde a sua criação, em 1999.

A companhia está presente em 22 Estados e no Distrito Federal e conta com mais de 127 mil acionistas em 44 países e ações negociadas nas Bolsas de Valores de Nova York, Madri e São Paulo.

Notícias relacionadas

Talentos de Minas descobrem novos caminhos com a música no 'Territórios de Invenção'
02/06/2017

Como a música inventa territórios? Lançando sons e palavras no espaço público para uma educação musical e criação artística em territórios de Minas Gerais. Esses são os pilares do projeto “Territórios de Invenção – Residências Musicais”, viabilizado pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC)

<iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/KB-GVV68U5s?rel=0" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>
02/06/2017

Na próxima quarta-feira (7/6), o documentário “Nunca me sonharam”, que estreia nos cinemas de São Paulo e Rio de Janeiro, será disponibilizado gratuitamente na plataforma Videocamp. Apresentando um panorama do ensino médio nas escolas públicas do Brasil, o filme poderá ser assistido, até 7 de junho

O aprendizado dentro de sala de aula é muito importante, mas aliar conhecimento à experiência de aprender com o artista que você admira pode proporcionar um importante crescimento e amadurecimento na trajetória de jovens estudantes de música.
12/06/2017

O aprendizado dentro de sala de aula é muito importante, mas aliar conhecimento à experiência de aprender com o artista que você admira pode proporcionar um importante crescimento e amadurecimento na trajetória de jovens estudantes de música.