Você está aqui:

Notícias

Exposição no Museu Regional conta a história de Grão Mogol

Exposição no Museu Regional conta a história de Grão Mogol através da arte

Trabalhos em telas, artesanato em pedras e madeira, danças e serestas revelam nuances da cidade histórica por meio do olhar de seus artistas e moradores

 

Uma cidade com a história vinculada à mineração de diamantes, com cenários pitorescos de casarios de pedras, rios, serras e com uma vocação para a arte e a cultura. Estes são os cartões de visita para a exposição “Grão Mogol – Cidade Histórica”, que o Museu Regional do Norte de Minas apresentará ao público a partir desta quinta-feira (23/11).

O cardápio cultural é vasto, com a exibição de telas, artesanatos em pedras e talhados em madeira e apresentações de dança e de seresta. A promoção conta com o apoio da Prefeitura de Grão Mogol. 

Artista plástico e promotor cultural, Rogério Figueiredo é o organizador da mostra, que estará aberta ao público em geral até o dia 30 de novembro, com visitação gratuita. “Vamos apresentar a cidade de Grão Mogol a partir do olhar dos seus artistas e moradores”, destaca. 

Cravada na porção Norte da Serra do Espinhaço, Grão Mogol surgiu no Século XVIII – por volta de 1780 –, a partir da descoberta de diamantes. Foi uma das mais extensas intendências de Minas Gerais. O fluxo de garimpeiros e tropeiros transformou o local como o mais populoso da região Norte de Minas por várias décadas. 

 

A mostra

A Exposição “Grão Mogol – Cidade Histórica” reunirá cerca de 30 telas de diversos estilos com reproduções de paisagens, rios e do patrimônio histórico da cidade, como casarões e símbolos religiosos, como a Igreja de Santo Antônio, toda feita de pedra.

Também há um resgate da origem da cidade, com pinturas que remetem aos primeiros garimpos dali. Os trabalhos são assinados pelo próprio Rogério Figueiredo. 

Dentre os artesanatos, destaque para a precisão de Edgar Pereira, artesão da cidade que reproduz em miniaturas feitas de pedra os principais símbolos arquitetônicos da cidade. Haverá, ainda, exibição de peças assinadas por Geraldo Fróes, que utiliza pedras, sementes e galhos na confecção de animais da flora local. 

O público que for ao lançamento oficial da exposição, às 19 horas de 23 de novembro, terá a oportunidade de conhecer outra tradição marcante de Grão Mogol: a seresta.

O Grupo Luar do Sertão fará uma apresentação especial no Casarão que abriga o Museu Regional do Norte de Minas. A Escola de Dança Realissa fará uma apresentação solo, estilo livre, inspirada no Discocactus horstii, uma espécie nativa de cactus só registrada na região de Grão Mogol. 

Em 2016, o centro histórico de Grão Mogol foi tombado pelo Conselho Estadual do Patrimônio Histórico do Estado de Minas Gerais (Conep). Além das construções antigas, a cidade conta com o Presépio Mão de Deus, o maior a céu aberto do mundo, praias naturais, trilhas históricas, sítios arqueológicos e uma diversidade de espécies nativas, especialmente de orquídeas, objeto de estudo de pesquisadores do mundo inteiro. 

 

Exposição Grão Mogol – Cidade Histórica

Local: Museu Regional do Norte de Minas

Período: 23 a 30 de novembro

Visitação gratuita

Expositores: Rogério Figueiredo, Edgar Pereira e Geraldo Fróes.

Informações: (38) 3229-8590

 

Notícias relacionadas

Secretaria de Estado de Cultura lança Fundo Estadual de Cultura 2017
31/10/2017

O repasse de recursos do FEC, ao contrário da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, é direto, sem necessidade de captação junto a empresas, e contempla, de uma forma geral, manifestações da cultura popular, pequenas entidades, grupos e coletivos, tendo uma visão mais voltado ao interior do estado.

Faop abre edital para interessados no Curso Técnico em Conservação e Restauro
01/11/2017

O exame de seleção é realizado por meio de questões objetivas de língua portuguesa, química, elaboração de uma redação dissertativa e avaliação de aptidão visual e motora. Para inscrever-se, os interessados devem ter concluído ou estar cursando a partir do 2° ano do ensino médio.

Exposição de bonecos reúne personalidades da história e da arte no Museu da Unimontes
03/11/2017

Os bonecos possuem uma armação de arame revestida de tecidos, com objetos entre botões, espumas, medalhas e cordas como adereços. Dentre as “personalidades” reunidas no Museu estão Alberto Santos Dumont, considerado o pai da aviação brasileira; a artista mexicana Frida Kahlo; o ator Charles Chaplin.