Você está aqui:

Notícias

Fundação João Pinheiro apresenta Geoportal do Café

Fundação João Pinheiro apresenta Geoportal do Café

Ferramenta dedicada à organização de informações geoespaciais e indicadores relacionados ao agronegócio do grão teve seu pré-lançamento na Semana Internacional do Café

 

A Fundação João Pinheiro (FJP) apresentou, durante a Semana Internacional do Café (SIC), o Geoportal do Café, plataforma tecnológica desenvolvida pela instituição por encomenda da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG).

O pré-lançamento da ferramenta aconteceu durante o workshop 'Geoportal Mapeamento e Monitoramento do Parque Cafeeiro de Minas Gerais', evento aberto pelo presidente da Fundação João Pinheiro (FJP), Roberto Nascimento, e apresentado pelo assessor de Tecnologia da Informação da FJP, Rodrigo Diniz.

A iniciativa tem o objetivo de mapear todas as áreas de cultivo do grão no estado, com inserção de dados socioeconômicos e geoespaciais para subsidiar políticas públicas e investimentos privados de toda a cadeia produtiva. A conclusão desse mapeamento, que trará informações completas dos 451 municípios listados como produtores de café pela Emater-MG, está prevista para março de 2018. 

Além do desenvolvimento e implementação do geoportal, a Fundação João Pinheiro também está contribuindo com informações econômicas e de planejamento. O projeto também conta com a participação efetiva da Epamig e da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), e com a colaboração da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

 

Aplicações

Na prática, por meio do Geoportal do Café o produtor vai conseguir localizar sua propriedade nas glebas de café, o que será fundamental para melhor planejamento e gestão da atividade. Também para os gestores municipais e estaduais, os dados levantados e disponibilizados vão facilitar o direcionamento de ações para todas as regiões.

A ideia central da iniciativa é tornar o geoportal uma fonte permanente de consulta com informações abertas de Governo, pois o sistema operacional da geoplataforma tem linguagem e programação open source (fonte aberta), integrável a qualquer base de dados e não cria concorrência com outras entidades, representações ou mercados.

“O geoportal vai facilitar a vida dos usuários, que poderão carregá-lo para qualquer lugar como fonte de consulta”, afirma o assessor-chefe de da FJP, Rodrigo Diniz, responsável pelo desenvolvimento da ferramenta.

Diniz acrescenta que, pelo fato de o projeto ter sido concebido com padrões abertos, o geoportal estará apto a receber e a enviar dados, com informações 100% integráveis, sem restrição tecnológica que demande investimento em infraestrutura de outras unidades do estado.

 

História

Também na quinta-feira (26/10), a Fundação João Pinheiro apresentou o estudo 'História do Café das Matas de Minas', realizado pela instituição em parceria com o Sebrae Minas e a Seapa para composição dos trabalhos de Indicação Geográfica do produto na Região das Matas de Minas.

A Indicação Geográfica é usada para identificar a origem de produtos ou serviços quando o local de produção tenha se tornado conhecido ou quando sua proveniência determine característica ou qualidade específica. O registro permite delimitar a área geográfica e restringir aos produtores e prestadores de serviços da região, organizados em entidades representativas, o uso da IG, o que, mantendo os padrões locais, impede que outras pessoas utilizem indevidamente o nome da região.
 
De acordo com o presidente da Fundação João Pinheiro, Roberto Nascimento, a certificação do café das Matas de Minas representa um passo importante da atual política governamental no sentido de incentivar, apoiar e propiciar condições mais adequadas para que o estado mantenha sua condição de liderança na produção cafeeira.

“A produção de café em Minas Gerais tem representado aporte considerável ao PIB mineiro e é necessário e justo que ações visando o fortalecimento do setor incorporem iniciativas que, como esta, insere a população como elemento central das políticas públicas e resulta em um desenvolvimento econômico inclusivo e sustentável”, afirma.
 

Notícias relacionadas

IMA habilita engenheiros agrônomos aptos a contribuir com a prevenção e controle de pragas nas lavouras
27/06/2017

Entre os temas tratados estão o monitoramento, levantamento e mapeamento da praga em condições de campo, identificação, coleta, acondicionamento e transporte da amostra para análise. Cerca de 70 engenheiros agrônomos de Minas Gerais e de todo o país participam do treinamento.

Ações do Governo do Estado em pequenas propriedades incentivam produção sustentável
27/06/2017

Estima-se que o crescimento demográfico mundial elevará a população para 10 bilhões de habitantes em 2050. Os números são um alerta para que importantes países na produção agrícola estejam mais bem estruturados e preparados para atender às crescentes demandas interna e externa.

 Parceria busca aprimorar tecnologias de apoio à qualidade na produção de alimentos
01/09/2017

O IMA e o Centro de Inovação e Tecnologia identificaram, inicialmente, cinco áreas onde essa parceria poderá começar a ser colocada em prática, todas relacionadas ao aumento de conformidade da agroindústria mineira à legislação em vigor.